NITRURAÇÃO EM PLASMA

A base deste processo é a criação dum plasma, que é obtido ionizando as moléculas dum gás sob vácuo, através duma descarga eléctrica entre o ânodo (forno) e o cátodo (peça).
Ao introduzirmos o azoto, ele é parcialmente ionizado pela descarga eléctrica. Os iões assim formados, são acelerados em direcção à peça (cátodo) e provocam na superfície os seguintes efeitos:

  limpeza e uma activação de superfície
  aquecimento da peça pela absorção da energia iónica cinética
  reacção dos iões altamente activos com os elementos do material de base
  difusão dos elementos existentes no gás dentro da peça.
Figura 22 Instalação de nitruração iónica

Os componentes principais desta instalação de nitruração por plasma são:

  câmara de vácuo
  unidade eléctrica
  sistema de mistura de gases
  diversos dispositivos de controlo

Vantagens:

  mais maior gama de temperatura de nitruração
  menores tempos de execução
  possibilidade de camadas nitruradas espessas
  possibilidade de controlar a camada nitrurada
  possibilidade de tratar aços inox e ligas de titânio
  possibilidade de nitruração parcial
  elevada reprodutibilidade
  elevada automatização
  não exige limpeza posterior
  não prejudica o meio ambiente

Inconvenientes:

  elevados custos de investimento
  baixa flexibilidade
  não é possível nitrurar totalmente os furos com diâmetro inferior a 2 mm
  formação de arco
  possibilidade de zonas de sombra não nitrurada
  gama de peças a tratar condicionada pelas dimensões.