MOLDES PARA FUNDIÇÃO INJECTADA


Existem dois tipos de moldes para fundição injectada:

  • Câmara Fria
  • Câmara Quente

CÂMARA FRIA

Moldam ligas de Alumínio, Magnésio e Cobre.
O alumínio e magnésio são moldados à temperatura de 640º.
O cobre cerca de 950º.
Neste tipo de ligas, o material a moldar não é injectado directamente da máquina de fundição. Ele encontra-se num forno separado da referida máquina.
Por cada ciclo, a quantidade suficiente para encher as peças é retirada do forno por “robot” ou por outro processo mecânico, para o cilindro de injecção da máquina de fundição.
De seguida, o seu piston obriga a liga metálica a seguir pelo casquilho de injecção e gitos até chegar às cavidades.

 

Como se verifica, a liga derretida só está em contacto com o aço do cilindro de injecção durante muito pouco tempo, reduzindo ao mínimo o arranque de ferro existente nas ligas dos aços por onde o alumínio passa.

Devido à agressividade das ligas com alumínio, em relação às partículas de ferro no interior dos aços, deve-se usar aços de trabalho a quente H13 Temperados e Nitrurados.

O cilindro de injecção da máquina de fundição deve estar deslocado do centro do molde para o lado do seu topo para que a liga não volte para trás depois de se dar a injecção.

A localização, dimensão e perfil dos gitos e das injecções neste tipo de molde é completamente diferente dos moldes para os termoplásticos.

O material vazado no cilindro de injecção deve ser superior ao necessário para encher as peças, para que origine rebarba à linha de junta. A rebarba é necessária para garantir a pressão uniforme na liga metálica durante a fase da moldagem e arrefecimento, originando peças compactas. Tal excedente também é importante porque o material que vai à frente durante a fase de injecção, em regra está degradado.

CÂMARA QUENTE

Moldam ligas de Zinco.
Contrariamente ao processo de injecção por câmara fria, a injecção por câmara quente é feita directamente da máquina de injecção para o molde, por a liga solidificar rapidamente.

 

O fuso da máquina de injecção encosta ao injector A e debita a liga para o injector.

O injector e zonas moldantes devem ter resistências ou então circuitos de água quente, para permitir que a liga não solidifique antes de entrar nas cavidades. Também o postiço oposto ao injector deve ter resistência ou circuito de água quente.

Tratando-se de cavidades pequenas, devido ao rápido arrefecimento da liga, em geral as zonas moldantes não levam furos de aquecimento. Eles são feitos nas chapas da estrutura.

Deverão ser consideradas placas isolantes do calor na base das chapas que têm o sistema de aquecimento, para não permitirem a dissipação do calor.